Segundo a Wikipedia:

Procrastinação é o diferimento ou adiamento de uma ação. Isso resulta em stress, sensação de culpa e perda de produtividade por não cumprir com a suas responsabilidades e compromissos.

Um procrastinador é um indivíduo que evita tarefas ou uma tarefa em particular.

Atualmente estamos expostos à diversos desvios de atenção como e-mails, comunicadores, internet, redes sociais, etc. Permitir estes desvios ao longo do tempo pode tornar-se um hábito (vício) e então prejudicar o dia a dia, tornando-o improdutivo e deixando de fazer atividades importantes no momento certo.

Esses desvios geram stress, frustrações e até baixa estima pois passam vários dias com você tendo sempre aquelas tarefas pendentes que não saem da sua mente e que você não executa ou demora mais do que deveria para concluí-las.

A seguir listo algumas práticas que podem ajudar a evitar a procrastinação, permitindo assim que você seja mais eficiente e tenha uma vida com menos stress.

1. Detectar o estímulo

O primeiro passo para evitar a procrastinação é conseguir detectar o que te estimula à procrastinação. Isso é algo bastante pessoal, mas alguns exemplos de estímulos podem ser:

  • Redes sociais – navegar livremente nas redes sociais é uma atividade muitas vezes mais prazerosas do que realizar as atividades que você precisa fazer e basta uma piscada de olho no Facebook e já se passaram horas “gastas” com a linha do tempo infinita.
  • Netflix – algo muito tentador é ter disponível imediatamente todos os episódios de uma temporada de alguma série que você gosta. Não basta assistir um episódio, logo que ele termina você é estimulado a assistir “só mais um”, e assim se passam algumas horas e você não fez a atividade que precisava.
  • Jogos – seja as limitadas 5 vidas disponíveis no Candy Crush que logo se tornam intermináveis ou só mais um round no seu Shooter preferido. Quando você se dá conta já se passaram algumas horas jogando e você ainda quer mais.
  • E-mail e Comunicadores – estamos nos acostumando a termos todo mundo conectado a todo momento, então queremos saber na hora quando recebemos um novo e-mail ou mesmo um bate papo que está acontecendo em um grupo do Whats’up. Essa distração a cada poucos minutos tira o foco da sua atividade principal e faz gastar mais tempo para fazer uma atividade ou mesmo, deixa de fazê-la.
  • Internet – de forma mais geral, um link interessante na internet tem outros três links interessantes e assim você vai surfando na internet de forma indeterminada vendo muitas coisas interessantes, mas deixando de lado atividades que você deveria estar fazendo durante esse período.

Sendo assim a primeira prática a ser feita é uma análise do seu dia a dia para conseguir perceber o que está tirando o seu foco das atividades que precisam ser feitas. Não que as atividades acima não devem ser feitas, entretenimento sempre é importante, porém eles também não podem lhe prejudicar causando por exemplo stress por ter sempre atividades “atrasadas”.

2. Neutralizar o estímulo

Em algum momento que seja percebido o estímulo é importante a reação que é tomada, podendo sucumbir a ela ou neutralizá-la permitindo você fazer a atividade que precisa de forma concentrada, mesmo que não tão prazerosa.

Estudos indicam que a sensação ruim de fazer uma atividade menos prazerosa do que a atividade que o estímulo à procrastinação estava indicando fazer é rapidamente substituído pela sensação boa de concluir ou avançar em um item das suas pendências.

Para melhorar a eficiência desta prática, é importante desligar estímulos externos. Por exemplo, fechar aplicativos que geram algum tipo de notificação (e-mail, whats-up, skype, etc) e que podem te tirar a concentração da atividade que você já começou a realizar.

3. Focar no processo e não no resultado

Focar-se no resultado final da atividade que precisa ser feita pode desencadear algumas sensações que induzem à procrastinação, algo como medo de uma atividade difícil, algum “clima” ruim em resposta a um e-mail, uma atividade de baixo valor percebido, etc.

Uma prática importante é focar-se no processo que precisa ser feito para realizar a atividade. Por exemplo, ao ter que responder um e-mail “difícil” deve-se focar em como irá fazer isso e não nele propriamente dito. Uma forma de fazer isso é definir um horário, local e tempo destinado à atividade inclusive podendo adicionar alguns elementos que tornem a atividade mais agradável, como uma xícara do seu café predileto ou sua música favorita.

4. Usar a técnica Pomodoro

A técnica Pomodoro é uma grande aliada para evitar a procrastinação. Principalmente em atividades que irão demorar um certo tempo para ser concluídas, como por exemplo, estudar um novo idioma, desenvolver um novo software, escrever um livro, etc. Ou seja, em atividades que você terá que fazer de forma recorrente até concluí-la e possivelmente em dias diferentes.

O objetivo é apoiar a prática de se focar no processo, definindo ciclos de concentração exclusiva à atividade, mesmo que seja feito apenas um ciclo de 25 minutos por dia.

5. Organizar as atividades do dia seguinte

Ao organizar e fazer à tarde ou à noite uma lista de atividades que você terá que realizar no dia seguinte permite que você libere sua mente destes itens. Você para de se preocupar com eles até o dia seguinte, por consequência, você está “livre” para fazer outras atividades como entretenimento ou mesmo descansar mais tranquilo. Além disso, a prática permite que sua mente se prepare inconscientemente para o dia seguinte durante o sono.

Se você tiver uma noite de sono ruim ou mesmo dormir pouco, no dia seguinte seu cérebro estará trabalhando com toxinas geradas no dia anterior e que não foram “eliminadas” durante o sono. Estas toxinas irão prejudicar o seu raciocínio e eficiência nas atividades que você programou para realizar.

 

Estas práticas são alguns dos meus destaques do curso “How to Learn”  da Universidade de San Diego disponível no Coursera, o qual fiz como forma de buscar uma melhor eficiência das minhas horas de estudos e trabalho.

E você? Conhece ou utiliza alguma outra prática que ajuda a evitar a procrastinação? Não deixe de compartilhar comentando logo abaixo.

Até o próximo.

Rafael Leonhardt

@MumHaBR

http://www.rafaelleonhardt.com.br

Post original em https://www.linkedin.com/pulse/práticas-para-evitar-procrastinação-rafael-leonhardt